CURSOS ON LINE

CURSOS ON LINE
PREPARE-SE PARA OS DESAFIOS QUE ESTÃO POR VIR NO NOVO ANO QUE INICIA FAÇA CURSOS ON LINE COM CERTIFICADO GARANTIDO

domingo, 21 de outubro de 2012

NANISMO E GIGANTISMO

Nanismo e Gigantismo

Nanismo
 

O nanismo faz o corpo crescer menos que o normal. Isso porque ocorre um crescimento esquelético anormal, que geralmente resulta em um adulto de baixa estatura, muito inferior ao da média populacional. Existe dois tipos de nanismo.
  • Acondroplasia ou deficiência dos anões: Normalmente, essas pessoas têm menos de 1,50 metros de altura, o seu corpo é desproporcional, com braços e pernas curtos e a cabeça aparentemente maior me relação às outras partes. A acondroplasia tem causa genética, ou seja, é passada de pais para os filhos. Pais anões podem ter tanto filhos anões como normais. Não há tratamento para essa deficiência. O que podemos fazer é deixar o mundo, o quanto possível, adaptado para essas pessoas. Com medidas fáceis, como utilizar nas construções o conceito do desenho Universal, as coisas serão acessíveis para anões, crianças, cadeirantes e etc.
  •  Nanismo pituitário: O nanismo pituitário gera baixa estatura, porém o corpo é proporcional. Adultos com esse tipo de nanismo chega a medir 1,50m, pode causar atraso no desenvolvimento sexual nos adolescentes, recebe esse nome por ser causado por um problema na glândula pituitária, também conhecida como hipófise responsável pela produção do hormônio do crescimento.

Gigantismo

O Gigantismo é a secreção excessiva do hormônio de crescimento durante a infância, antes do fechamento das placas de crescimento ósseo. O excesso desse hormônio provoca o crescimento exagerado dos ossos longos (braços, pernas e tronco) e estatura muito alta. Na maioria dos casos, o gigantismo é causado por um tumor benigno na glândula pituitária, mas também pode estar associado à outras causas. Quando o excesso de produção do hormônio do crescimento acontece depois que a fase normal de crescimento parou, a doença é conhecida como acromegalia.
O gigantismo é extremamente raro, mas os indivíduos que sofrem da doença chegam a medir de 2,40m a 2,70m. O crescimento vertical que marca o gigantismo também é acompanhado pelo crescimento dos músculos e órgãos, o que faz a criança ser extremamente larga para a idade. O distúrbio também pode atrasar a puberdade e debilitar as funções sexuais.
 
Fontes:
http://www.tuasaude.com/nanismo/
http://www.alunosonline.com.br/biologia/nanismo.html
http://saude.hsw.uol.com.br/gigantismo.htm
Ciranda das Diferenças
http://criancarteira.blogspot.com.br/search/label/Vamos%20pensar%20na%20inclus%C3%A3o%3F